Jiboia - Boa constrictor constrictor (Bcc) - Jiboias Brasil


                                       

Jiboia
(Boa constrictor constrictor)


   As Jiboias (Boa constrictor constrictor), também conhecidas entre os Hobbystas como “Bcc”, são serpentes não peçonhentas, possuem dentição áglifa, ou seja, não apresentam presas inoculadoras de veneno, pertencem família Boidae, que é a mesma família das Jiboias arco-íris e Sucuris.

   Atualmente estão divididas em 10 subespécies que são distribuídas do norte da Argentina ao norte do México. Destas duas ocorrem no Brasil, Boa constrictor amarali (Bca) e Boa constrictor constrictor (Bcc), a primeira restrita ao bioma Cerrado e a segunda ocorre na Amazônia, Caatinga, Restinga e Mata Atlântica do Nordeste e Sudeste. A coloração de cada indivíduo varia de acordo com a região de origem e hoje no Brasil temos três padrões bem estabelecidos, o da Amazônia que apresenta cores mais avermelhadas na cauda, o da Caatinga e Mata Atlântica do Nordeste Brasileiro que possui a cauda mais marrom alaranjada e a da Mata Atlântica do sudeste que possui a cauda marrom e a cor de corpo cinza levemente esverdeado. Essa última variedade é a menor delas, raramente ultrapassa os 2,2m.

   A Boa constrictor constrictor atinge maiores proporções dentre as subespécies, algumas bibliografias registram animais de até 4,5. Normalmente animais com mais de 10 anos de cativeiro ficam entre os 2,5 e 3,0 metros e um peso em torno de 20 a 25kg. Podem ultrapassar esta marca, mas raramente atingem os 3,5 metros. Alimentam-se predominantemente de aves e pequenos mamíferos, na natureza alguns filhotes podem se alimentar de pequenos anfíbios e lagartos. Em cativeiro devido ao melhor controle sanitário e praticidade é recomendado o uso de pequenos roedores. São vivíparas e podem ter ninhadas de até 65 filhotes, mas em média nascem de 15 á 30 por gestação. São animais de hábito crepuscular ou noturno e semi-arborícolas, têm expectativa de vida em torno de 25 a 30 anos. O maior registro de longevidade é de 40 anos, 3 meses e 14 dias no Philadelphia Zoological Gardens.

   Dentre as espécies de serpentes criadas no Brasil é a mais conhecida e por isso mais procurada, fica muito dócil e é uma ótima opção de animal de estimação. Tem que se atentar ao tamanho que atinge o que pode criar dificuldades de espaço quando adultas.